Desmatamento avança na Amazônia, que perde 19 hectares de floresta por hora

Desde agosto de 2018, o desmatamento ilegal na Amazônia atinge em média 52 hectares por dia, mas os dados da primeira quinzena de maio de 2019 extrapolaram essa média e chegaram a 19 hectares por hora. Segundo notícia veiculada pela Exame, o volume de desmatamento dos primeiros 15 dias de maio está próximo ao valor de desmatamento dos nove meses anteriores.  O atual valor é o maior registrado para o mês de maio em uma década. 
Para se ter uma ideia, foram perdidos, em 15 dias, uma área correspondente a sete mil campos de futebol (6.880 hectares). Esses dados são do Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real (Deter), ferramenta do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que fiscaliza ações de desmatamento. Os valores consideram o desmatamento em Unidades de Conservação.

O ex-ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, disse que não ficou surpreso com essas informações. “Não há surpresa nessas informações. Há tristeza. Quando um governo resolve desmoralizar os agentes do Ibama, desmontar o ICMBio e acabar com as unidades de conservação, ele só está dando o sinal verde para o desmatamento. Como diminuir os índices, se os instrumentos criados para combater esses crimes estão sendo desmontados pelo discurso e pela ação concreta do governo?”, indagou o ex-ministro. 

Para saber mais sobre os dados recentes de desmatamento na Amazônia, veja a notícia da Exame na íntegra.

[Imagem: Nacho Doce/Reuters]